*****

*****

PEÇA O DVD CLICANDO AQUI

Seguidores

Instruções sobre áudio no blog

Atenção: Se você não quiser ouvir a rádio online (preferindo os áudios dos filmes) basta clicar em "MUTE" na sound box.

If you don't want listen to the online radio just go to the sound box in the bottom and click on "MUTE".

A RÁDIO DA RAINHA

Language

Sejam bem-vindos ao blog da Rainha dos Negros: Prazer Interracial !!!

Loading...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Um negro maravilhoso... (humilhando meu corninho...rs)


O texto que segue abaixo é um conto de minha autoria. Não confundir RELATOS REAIS, que são situações, episódios ou fatos verídicos que se passam ou se passaram em minha vida, com os CONTOS , que são as FANTASIAS que carrego dentro de mim.



Sou casada com um corninho que adora incentivar minhas fantasias .
E foi graças a ele que eu conheci o Cesário.
Eu sempre tive curiosidade a respeito de saber se os homens negros são realmente bem dotados. Pode parecer besteira mas...fetiche é fetiche. Tara é tara...rsrs. O fato é que eu, como sempre gostei de homens com o pau bem grande e grosso, estava louca para dar para um negro bem gostoso e de preferência com o meu maridinho vendo tudo bem de pertinho.

Ele havia colocado um anúncio na net, procurando homens bem dotados para transarem comigo na sua frente.
E numa bela noite...
Eu estava ansiosa e aguardava a chegada do meu maridinho. Estava usando apenas uma camisolinha com uma minúscula calcinha e mais nada. Não queria perder tempo, pois meu tesão fazia meu corpo queimar.
Ele chegou e foi logo me apresentando o seu novo amiguinho, dizendo pra ele: "Essa é a minha esposinha. Ela será a sua diversão esta noite."
Cesário era um homem de 40 e poucos anos, alto e forte, mais parecia um armário de tão grande. Ele não perdeu tempo e apenas perguntou ao meu marido: "Você tem certeza que vai deixar essa gostosa dar pra mim ? Lembra do que te falei, depois que eu começar só vou parar quando o rabinho dela estiver todo arrombado."

"Ela é sua, pode meter à vontade. Faça o que quiser com ela."

E ele não perdeu tempo: me deu um beijo bem gostoso e demorado na boca. Enquanto me beijava, suas mãos apertavam minha bundinha. Ele me levou até o sofazinho da sala, me mandou sentar e foi tirando suas roupas. A camisa, sapatos, meias, calça, cueca...
Surgiu na minha frente uma pica enorme, da grossura do meu pulso, apontando para mim.
Abri minha boquinha e comecei a chupar, sentia aquilo pulsando em meus lábios. Ele puxava minha cabeça fazendo sua pica ir fundo na minha garganta, mas era muito grande, mal conseguia abocanhar a cabeçona do pau dele.

Meu marido, já sem roupa, se masturbava com a visão da sua esposinha chupando o pau de um outro homem. E mais ainda, de um negro gostoso, viril e safado.
Eu estava vibrando!
Com as duas mãos punhetava aquela pica grossa, sem tirá-la da minha boca., quando de repente ele gemendo, anunciou o seu gozo. Rajadas de esperma  inundaram na minha boquinha. Era tanta porra que começou a escorrer pelo meu pescoço, pelos meus seios...
Engoli o que pude, fui até meu maridinho e disse: "Agora me beija, seu corno mulherzinha! Vem! Sente o gosto do meu macho.

Dei um beijo no corninho e percebi que ele estava adorando. E continuei a provocá-lo ainda mais:

"Agora esse negão gostoso vai me comer na nossa caminha! Quer ver ? Quer ver a sua esposinha dando o cuzinho pra um negão bem pauzudo, seu frouxo ? Você gosta, não é ? Gosta de ver tua mulher dando pra um macho de verdade ? Sabia que ele é muito mais homem que você ? Seu corno !!! Levei meu negro maravilhoso até o nosso quarto. Meu marido nos seguiu, mas o Cesário não o deixou entrar, dizendo: "Lembra o que combinamos ? Você já viu o bastante, agora fica aí. Mas pode ficar tranqüilo, ela vai gemer bastante e você vai poder escutar tua mulher gozando com minha pica enterrada no rabo dela. Só entre quando eu mandar."

Dentro do quarto a sós comigo, meu novo amante começou a dar as cartas do jogo. Lambendo minha bucetinha ele me fazia delirar de tesão. A língua dele invadia minha bucetinha e aos gritos gozei alucinadamente.
Ele colocou uma camisinha e deitou-se na cama, com aquele mastro negro apontando para cima, duro como uma rocha. Montei sobre ele e pude sentir sua pica arrombando minha bucetinha. Cavalguei, mexi, rebolei...Eu estava enlouquecida com aquele homem gostoso. Vibrava por estar metendo com um negão pauzudo na minha caminha, com o meu maridinho do lado de fora do quarto apenas ouvindo sua esposinha gemendo, gozando...

Essa situação toda fazia com que o meu tesão aumentasse mais ainda.
Num dado movimento, tirei seu pau da minha buceta e mirei na portinha do meu cuzinho. Sentei com força, mas a dor que senti me fez parar. E então ele disse: "Calma, minha vadia. Não é assim que se faz."

Ele chamou o meu maridinho e mandou que ele ficasse em pé, ao lado da cama.
Meu marido estava nu, com o pintinho dele duro, me olhando com aquela cara típica de corno, feliz por me ver naquela situação.
Fiquei de bruços, empinei minha bundinha e meu negão veio por cima de mim cravando sua pica na minha bucetinha, tirando em seguida para encostar na portinha do meu rabinho e forçar a entrada. Eu tremia de medo e excitação. Sabia que ia doer, mas é assim mesmo que eu gosto. Uma dorzinha gostosa de prazer. O pau dele foi entrando e rasgando meu cuzinho enquanto eu gritava e gozava alucinadamente. Ele enfiou tudo e começou a bombar com força dentro de mim, socando tão forte que parecia querer enfiar até as bolas do seu saco.
Meu ânus estava dilatado ao máximo, ardia, doía e ele socando mais e mais, cada vez mais forte, me chamando de gostosa, vadia, cachorra.
E bem sacana,começou a provocar meu maridinho: "Cara, como tua mulher é gostosa ! Tá vendo ? Tô fodendo o rabo dela. Olha só como ela tá gostando...Fala pra ele sua safada ! Tá gostando?"
"Tô adorando ! Fode meu cuzinho, fode..."
"Quem é o teu macho agora ?"
"Você ! Você é o meu macho gostoso ! E esse aí é o meu maridinho corno."

Ver meu marido assistindo a tudo passivamente sempre me deu muito tesão mas naquela noite foi especial. O Cesário me fodia deliciosamente e me provocava. Ele sentia tesão em me foder na frente do meu marido, mas queria que eu o humilhasse.
Na verdade, meu maridinho já estava humilhado, pois o pau dele é pequeno se for comparado ao do Cesário. Isso sem contar na habilidade do negão que parecia uma britadeira. Metia sem parar e violentamente no meu cuzinho. Ele tinha a fúria de um cavalo selvagem. Um garanhão , um corcel negro. E me deixava maluca de tesão.
Gozando sem parar sendo fustigada por aquela tora negra, comecei a falar besteira e a debochar de meu marido:

"Vai meu negão, mete mais forte ! Olha, seu corno ! Eu tô gozando! Tô gozando na vara do meu macho ! Isso é que é homem ! Que pau gostoso !"

De fato, eu nunca tinha gozado tanto assim na minha vida, estava alucinada.
Cesário, anunciando que ia gozar, sacou seu membro, tirou a camisinha e esporrou no meu rostinho, me fazendo limpar seu pau com a língua.
Não resisti e chamei o corno do meu marido, ordenando que ele lambesse meu rosto.
Ele me beijou, lambeu como um perfeito maridinho submisso. E sem mais, começou a se posicionar por cima de mim, tentando me penetrar, quando bruscamente reagi. Simplesmente não deixei e virei meu corpo, ficando de 4.
Abri bem minha bundinha e mandei ele olhar bem para o estrago que o negão havia "proporcionado" em mim.
Gozei novamente quando o corno do meu marido meteu a sua língua no meu cu arrombado e, delirando de tesão na sua punhetinha, anunciou que estava gozando também. Kkkkkkk, que cena!
Cesário, por sua vez, já estava de pau duro novamente e mandou meu marido sair do quarto, continuando a me comer.
Metemos atá de madrugada, sozinhos sem a participação do meu marido.
Fui fodida por um verdadeiro macho que me fez gozar como nunca havia gozado antes.
Ele foi meu amante por 4 meses e certamente seria até hoje, se não tivesse confundido as coisas.
Já tenho um dono, que mesmo sendo corno, é o homem que amo.
Quando tive que acabar o meu relacionamento com o Cesário fiquei triste, mas não demorou muito tempo para meu corninho me dar uma nova surpresa. Ou melhor um novo presentão...rsrs. Quem sabe na próxima eu conto.

3 comentários:

Anônimo disse...

COMO É DEPRAVADA ESSA SAFADA...QUANTOS PENSAMENTOS DEVASSOS...QUANTA SAFADEZA...MATANDO A GENTE DE TANTO TESÃO...DE TANTA PUNHETA PRA ELA...TODOS SONHAM EM ENCHER ESSA BOQUINHA DE PORRA...EM BOMBAR COM FORÇA, COM VONTADE NESSE CÚ GULOSO E ENCHER ELE TAMBÉM DE LEITINHO QUENTE...MAS ISSO É PRIVILÉGIO APENAS DO CORNINHO MAIS FELIZ DO MUNDO...RSRS
QUEM SABE UM DIA ELA NÃO COMEÇA A TER TARA POR TER OUTROS HOMENS ASSISTINDO A ELA FODER BEM GOSTOSO COM SEUS NEGÕES E ME CONVIDA...RSRS
SEU FÃ...MALICIA...

Vendek Rodrigues disse...

Nossa.

Passo um bom tempo apenas olhando sem comentar por aqui, e quando resolvo entrar, me deparo com esse relato antigo maravilhoso.

Um dos melhores que já vi. A Rainha fez tudo que eu adoro. Chupou a piroca do seu macho negro até ele gozar, engolindo o farto leite de pica do seu touro negro reprodutor.

Depois, a égua branca de raça com a boca melada com a porra do seu comedor negro, fez seu maridinho corno beijá-la para provar o gostinho, e ainda chamando-o de "corno mulherzinha". Delícia.

Após essa libidinosa refeição proporcionada por seu súdito cor de ébano, a Rainha levou seu comedor para fodê-la bem na caminha sua e de seu maridinho, para deixá-la completamente sujinha com "manchas de prazer", suor do atrito da branca com o preto, e cheiro de sexo.

Assim, o zangão negro foi ferroar sua Rainha na "colméia" que o operário impotente construiu, deixando a abelha cujo ferrãozinho é fraco e pequeno apenas presenciar seus zumbidos (gemidos) do lado de fora, para mais tarde entrar e se alimentar com o néctar (porra) que a Rainha e seu zangão produziram.

As palavras que a Rainha utilizou para humilhar seu corno nesse relato também foram ótimas.

No final, depois de arrombar o rabo delicioso da Rainha, o macho negro goza no lindo rosto dela, a Rainha limpa seu pau com a língua e chama o corno para lamber e beijar seu rostinho perfeito. Delícia.

Novamente nessa transa a Rainha mostra que não esteve benevolente, e mostra sua face mais despótica de monarca (e a mais excitante, na minha opinião) e nega quando seu reizinho implora pelo resto do seu corpo desgastado na noite, o único contato que seu maridinho frouxo tem com ela é de novo com a língua, dessa vez no seu cuzinho, aonde há pouco tempo estava o monumento negro do comedor fazendo estrago.

O corninho goza (sorte a dele que não estava com o cinto de castidade predendo sua piroquinha ridícula) e a Rainha também pelo prazer de ser sempre superior (viva as mulheres!).

E finalmente, depois disso, o macho negro volta a fazer o que sua natureza determina: expulsa o viadinho frouxo branco e atende o pedido de sua esposa loira em ser fodida por um homem de verdade (o negro, claro).

Um dos melhores contos do site, Rainha. Parabéns para você e o corninho por esse ótimo relato que eu ainda não tinha lido.

Vendek Rodrigues disse...

Nossa.

Passo um bom tempo apenas olhando sem comentar por aqui, e quando resolvo entrar, me deparo com esse relato antigo maravilhoso.

Um dos melhores que já vi. A Rainha fez tudo que eu adoro. Chupou a piroca do seu macho negro até ele gozar, engolindo o farto leite de pica do seu touro negro reprodutor.

Depois, a égua branca de raça com a boca melada com a porra do seu comedor negro, fez seu maridinho corno beijá-la para provar o gostinho, e ainda chamando-o de "corno mulherzinha". Delícia.

Após essa libidinosa refeição proporcionada por seu súdito cor de ébano, a Rainha levou seu comedor para fodê-la bem na caminha sua e de seu maridinho, para deixá-la completamente sujinha com "manchas de prazer", suor do atrito da branca com o preto, e cheiro de sexo.

Assim, o zangão negro foi ferroar sua Rainha na "colméia" que o operário impotente construiu, deixando a abelha cujo ferrãozinho é fraco e pequeno apenas presenciar seus zumbidos (gemidos) do lado de fora, para mais tarde entrar e se alimentar com o néctar (porra) que a Rainha e seu zangão produziram.

As palavras que a Rainha utilizou para humilhar seu corno nesse relato também foram ótimas.

No final, depois de arrombar o rabo delicioso da Rainha, o macho negro goza no lindo rosto dela, a Rainha limpa seu pau com a língua e chama o corno para lamber e beijar seu rostinho perfeito. Delícia.

Novamente nessa transa a Rainha mostra que não esteve benevolente, e mostra sua face mais despótica de monarca (e a mais excitante, na minha opinião) e nega quando seu reizinho implora pelo resto do seu corpo desgastado na noite, o único contato que seu maridinho frouxo tem com ela é de novo com a língua, dessa vez no seu cuzinho, aonde há pouco tempo estava o monumento negro do comedor fazendo estrago.

O corninho goza (sorte a dele que não estava com o cinto de castidade predendo sua piroquinha ridícula) e a Rainha também pelo prazer de ser sempre superior (viva as mulheres!).

E finalmente, depois disso, o macho negro volta a fazer o que sua natureza determina: expulsa o viadinho frouxo branco e atende o pedido de sua esposa loira em ser fodida por um homem de verdade (o negro, claro).

Um dos melhores contos do site, Rainha. Parabéns para você e o corninho por esse ótimo relato que eu ainda não tinha lido.